A importância da Fisioterapia no dia-a-dia






O que é a fisioterapia?


A Fisioterapia consiste no restabelecer da funcionalidade do indivíduo, que se pode ver alterada por pequenas ou grandes lesões, patologias severas, condições adquiridas com a idade ou de carácter laboral.


O que é que faz um fisioterapeuta?


Um Fisioterapeuta avalia a funcionalidade do corpo da pessoa, para depois poder traçar um plano de tratamento adequado às alterações que o indivíduo apresenta. Mais do que perceber o que a pessoa “tem”, que normalmente vem mais do diagnóstico médico e exames complementares de diagnóstico, o Fisioterapeuta tenta perceber o “porquê” daquela condição ter surgido, para que essa falha possa ser corrigida, de forma a evitar quadros recidivos. Por exemplo, uma pessoa tem uma tendinite, e um Fisioterapeuta vai tratar essa tendinite, mas tem também de perceber porque é que ela surgiu, para corrigir o fenómeno que a desencadeou, de forma que não se repita.


Que tipo de tratamentos podemos fazer com um fisioterapeuta?


Ao contrário do que a maioria das pessoas pensa, a Fisioterapia não atua apenas no campo neuro-músculo-esquelético, ou seja, não se limita a tratar apenas alterações musculares ou articulares. É, realmente, uma das principais áreas de intervenção, especialmente na área de Ortopedia, mas a Fisioterapia atua também no tratamento de patologias respiratórias; reabilitação cardíaca (nomeadamente após Enfarte Agudo do Miocárdio); reabilitação neurológica, como nos pós-AVC ou Paralisia Cerebral, Medicina Laboral, através da avaliação da ergonomia dos locais de trabalho e atividades laborais; Saúde da Mulher, na preparação para o parto e na reabilitação pós-parto; Uroginecologia, no tratamento de incontinências urinárias, tanto do homem como da mulher. Existe ainda a área Dermatofuncional, que é a que estuda e trata o maior órgão do nosso corpo, a pele. Nela dedicamo-nos a perceber todas as disfunções que estão ligadas à pele e estruturas com as quais esta interage, fazendo uma ponte para a área da Medicina Estética e Reabilitação pós-cirúrgica, esta última muito importante para garantir o sucesso de qualquer cirurgia, a longo prazo.


Quando é que devemos procurar um fisioterapeuta?


Normalmente somos mais procurados devido a quadros de dor, quer seja por lesões traumáticas quer por más posturas que geram tensão muscular. O único problema é que, na maioria das vezes, a situação vem já avançada, o que dificulta a intervenção.

O que sugerimos é procurar um Fisioterapeuta nos casos em que se verifique uma, ou mais, destas condições, mesmo que (ainda) não haja dor:

- Tem um trabalho sedentário (passa muitas horas sentado, por exemplo);

- Tem um trabalho que obriga a movimentos repetitivos;

- Costuma sentir dores de costas ao final do dia;

- Tem sensação de pernas cansadas;

- Está para ser, ou já foi, mãe;

- Foi submetido a uma cirurgia;

- Tem bruxismo (ranger de dentes).


A fisioterapia deve fazer parte da rotina de uma pessoa? Porquê? Com que regularidade devemos ir a uma sessão de fisioterapia?


Sim, no sentido em que não devemos ignorar sinais que o nosso corpo vai dando. Nós fomos feitos para nos mexermos, e fazemo-lo cada vez menos nas nossas atividades de vida diárias. Isso gera limitações articulares, atrofias musculares, que dificultam ainda mais a nossa mobilidade, levando-nos a um ciclo vicioso de défice funcional do nosso corpo. As posturas que adotamos no dia-a-dia, quando erradas, têm consequências que podem vir a ser severas a longo prazo, por exemplo, um aumento da curvatura da cifose torácica (o típico aspeto de “estar a ficar corcunda”) leva a uma diminuição da capacidade pulmonar, ou seja, respiramos pior, porque os pulmões não têm tanto espaço para se expandirem. Este é um de muitos outros exemplos que podem ser dados no que respeita à Reeducação Postural, e que a maioria das pessoas não sonha, porque também não é dado ainda grande ênfase à necessidade de uma constante avaliação física consoante as mudanças no nosso estilo de vida.

No que respeita à regularidade das sessões, é muito variável de condição para condição. Não havendo nenhuma patologia ou disfunção diagnosticada, que exija uma frequência de sessões maior, poderíamos dizer que se deve fazer uma Avaliação em Fisioterapia pelo menos 2 vezes ao ano, de forma a verificar se há alguma alteração na estrutura do corpo que deva ser tratada, e então o Fisioterapeuta responsável dará seguimento ao caso, e em conjunto com o paciente traçará o plano de tratamento. No caso de quem sofre de dores de costas com regularidade, falamos de uma frequência de tratamento de 15 em 15 dias, ou mensal, nos casos mais leves a moderados, ou semanal nos casos mais graves. Mais uma vez, a dor e o desconforto são os principais denominantes da equação, que levam as pessoas a procurar a Fisioterapia. Mas quanto mais cedo, melhor. O importante é não deixar a situação agravar.




15 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo